Juramento Do Sindicato Dos Ladroes De Palis

(O aprendiz caminha em direção aos Companheiros, que estão acocorados em um semi-círculo, e recita)

Por Sara, nossa mãe, tomo meus novos companheiros por testemunhas do meu juramento.

protegerei os segredos da profissão e dos companheiros;

ensinarei, se tiver a sorte de um dia chegar a ser Mestre, apenas a aprendizes vinculados por juramento, como eu mesmo fui;

sou ladrão, não assassino; não matarei, exceto para defender a minha liberdade ou a de um companheiro, ou para proteger os segredos do ofício;

somente roubarei os pobres em caso de necessidade;

perseguirei implacavelmente os gatunos não sindicalizados, por todos os meios, exceto a delação;

honrarei meu mestre, como se meu pai fosse;

socorrerei os companheiros na dificuldade;

não delatarei;

de todo trabalho que fizer, reservarei a parte do sindicato, que é a do polegar da mão direita entre os dedos;
manterei o segredo deste juramento, em que empenho minha vida, e que fielmente cumprirei, até o fim dos meus dias.

Diante de vós, mestres, irmãos agora, juro com fé.

A ti, mestra, dedico o produto da minha obra-prima, que, com tua aprovação, me fará Companheiro.

(O aprendiz se curva e coloca no colo do mestre uma mochila com objetos roubados. O mestre abre a mochila e espalha os objetos, para que os Companheiros todos possam ver. Levanta-se e abraça o aprendiz; os outros aproveitam para furtar todos os pertences do iniciante.)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License